"Determinados comportamentos têm que ser excluídos dos espetáculos desportivos."

Autoridade para a Prevenção e o Combate à Violência no Desporto, já tem “casa”, e é em Viseu. Rodrigo Cavaleiro, oficial da PSP, preside esta entidade e defende a necessidade de colocar em prática, mais vezes, a lei para combater atos de violência nos eventos desportivos.

O desporto tem um cenário mediático em Portugal, e com ele chegam, por vezes, episódios de violência. Em entrevista à TSF, o presidente da Autoridade para a Prevenção e o Combate à Violência no Desporto reconhece “o trabalho que importa levar a cabo nesta área, de uma forma integrada e multi-institucional, atuando por uma perspetiva sancionatória, mais imediatista, mais de combate, propriamente dito, mas numa perspetiva de prevenção geral. Mas também, e para criar mudanças na realidade do contexto em que se vive, uma intervenção mais de fundo e nas causas e na origem dos problemas, e aí sim numa medida mais de profilaxia e preventiva. No fundo, uma análise de diagnóstico que permita criar as soluções e ultrapassar esses problemas”, sublinhou Rodrigo Cavaleiro.

É sempre preciso ter em conta as principais vias; uma é judicial, os processos crimes que atuam na esfera dos tribunais, depois a atuação administrativa de âmbito contraordenacional nos ilícitos de mera ordenação social e também o sancionamento disciplinar. O presidente da APCVD, explica que esta entidade vai ter “uma missão administrativa que sanciona as contraordenações previstas no regime jurídico.”

Excerto Fonte TSF Rádio Notícias.

Rodrigo Cavaleiro, Presidente da Autoridade para a Prevenção e o Combate à Violência no Desporto (APCVD)

Compete 2020
Back to top